Escola Koru

Empreendedorismo: o que é, quais são as vantagens e como se tornar um empreendedor

Empreendedorismo é um conceito que ganhou destaque nos últimos anos, principalmente devido à crise econômica que afetou muitos países ao redor do mundo – a Covid foi um meio que levou muitos empregados a se tornarem empreendedores. 

Mas o que é o empreendedorismo? Quais são as vantagens de ser um empreendedor? E como se tornar um empreendedor de sucesso? Essas são perguntas importantes que serão respondidas neste artigo.

O que é Empreendedorismo? 

Empreendedorismo é um conceito amplo e multifacetado que engloba a habilidade de identificar oportunidades de negócios e transformá-las em empreendimentos rentáveis ​​e ambiciosos, além de sustentáveis

Está relacionado com a inovação e a criação de valor, tanto para os clientes como para a sociedade como um todo. Para isso, envolve a capacidade de identificar necessidades não atendidas, de criar soluções inovadoras e de transformar ideias em ações concretas, gerando novos produtos, serviços ou processos. Também está associado à capacidade de assumir riscos e lidar com emergências. 

O conceito atual de empreendedorismo inclui a ideia de que qualquer pessoa pode ser empreendedora, independentemente de sua formação acadêmica ou experiência profissional. 

“Engana-se quem pensa que o empreendedor precisa estar ligado a um CNPJ. Em qualquer lugar que você tiver a chance de melhorar determinada situação, isso é empreender. Vale lembrar que essa mentalidade de empreender é uma das habilidades mais procuradas pelas empresas em seus profissionais atualmente.” (Forbes)

Quais são as vantagens do empreendedorismo? 

Autonomia: o empreendedor tem controle sobre suas decisões e seu tempo, podendo trabalhar de acordo com seus objetivos e metas.

Flexibilidade: ele pode adaptar sua rotina de trabalho de acordo com as necessidades do negócio.

Possibilidade de ganhos elevados: o empreendedor pode aumentar significativamente sua renda por meio do sucesso de seu negócio.

Satisfação pessoal: criar algo do zero e vê-lo crescer e prosperar é uma das maiores fontes de satisfação pessoal.

Como se tornar um empreendedor? 

O fato é que, independentemente da área em que deseja empreender, torna-se necessário perseguir fatores como resiliência, paciência e prática diária. (Forbes)

Busque o conhecimento – esse é um processo contínuo: aprenda sobre gestão de negócios, finanças, marketing e outras áreas relevantes para o seu negócio. E entenda, sobretudo, sobre as demandas do mercado, afinal, o empreendedorismo movimenta a economia de forma significativa. Invista em seu desenvolvimento, a autogestão é indispensável.

Identifique uma oportunidade: analise o mercado e identifique uma necessidade que ainda não foi atendida. Pense em soluções inovadoras para atendê-la.

Desenvolva um plano de negócios e organize as finanças: estude o mercado, faça uma análise financeira, crie um plano de ação e estabeleça metas, saiba com clareza qual é o seu objetivo – empreender envolve riscos, portanto, não se deve tomar atitudes precipitadas e sem um planejamento. 

Seja resiliente, tenha coragem e nada de se acomodar: o empreendedorismo é uma jornada cheia de desafios, por isso, é importante ser perseverante e persistente para superar os obstáculos, sem contar que o medo de dar errado pode tomar o lugar do objetivo se você não tiver coragem e resiliência. Mantenha o foco e não se acomode, empreender não é fácil e pode levar tempo, requer esforço, estudo e dedicação.

Construa seu network: construa uma rede de contatos e busque parcerias que possam ajudar no crescimento do seu negócio, com capacitação, financiamento, abrir portas, parcerias em projetos etc.

“Ser ou tornar-se um empreendedor não é apenas dom, mas sim colocar suas capacidades em prática, destacar-se pela produtividade e querer inovar.” (Forbes)

Tornar-se um empreendedor não é lá uma das tarefas mais fáceis, afinal,  a evolução do mercado, a evolução tecnológica e todas as evoluções e revoluções que temos vivido (e que não pararão por aí), exigem que se conheça muito bem “onde você vai colocar os pés, as mãos, a cabeça e o corpo todo, enfim”. 

Afinal, o empreendedorismo reúne um conjunto de atividades que para existirem envolvem passos que formarão o alicerce dessa jornada.

O que tudo isso significa, em números?

“Pesquisa realizada pelo Sebrae e divulgada por meio do Atlas dos Pequenos Negócios mostra que durante o ano de 2022 micro e pequenos empreendedores fizeram circular na economia brasileira R$35 bilhões por mês, resultando em R$420 bilhões no ano. 

O Atlas revela também que 40% dos proprietários destes MPE estão nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Mostrou também que em os Microempreendedores Individuais (MEI) a maioria são negros. 

De acordo com o estudo, no país inteiro, as Micro e Pequenas Empresas (MPE) são responsáveis por R$280 bilhões no ano, correspondente a R$23 bilhões por mês e os Microempreendedores Individuais (MEI) responderam por R$ 140 bilhões ou seja mais de R$ 11 bilhões por mês.” (Sebrae)

Clique aqui e veja os resultados da pesquisa do Sebrae sobre o perfil dos empreendedores brasileiros, de janeiro/2023.  

Mas, como ser um empreendedor nos novos tempos?

Esta é uma pergunta de milhões!

Basicamente, o perfil do empreendedor tem sido refinado pelos novos tempos, ou seja, o empreendedor dos novos tempos é a pessoa que possui uma visão de negócios inovadores, capaz de identificar oportunidades em meio às mudanças constantes do mercado e da sociedade. É movido pela paixão pelo empreendedorismo e pelo desejo de transformar o mundo através de suas ideias.

As características do empreendedor dos novos tempos são bem diversificadas em termos de habilidades, tais como: criatividade, adaptabilidade, liderança, capacidade de networking, habilidades digitais e pensamento crítico e muita inteligência emocional.

É imprescindível ter uma visão estratégica de longo prazo, saber lidar com riscos e reflexões, ter disposição para o aprendizado contínuo e se reinventar… Há muito mais!

O empreendedor dos novos tempos é também um agente de mudança social e ambiental, devendo estar atento às questões de sustentabilidade e responsabilidade social, buscando integrar essas preocupações em seus negócios. Compreende que os negócios devem ser um meio para gerar impacto positivo na sociedade e no meio ambiente, e não apenas uma forma de gerar lucro.

Outra característica importante é a capacidade de trabalhar em equipe e colaborar com outros empreendedores e profissionais. Compreende que a colaboração e a diversidade são fundamentais para o sucesso dos negócios, e se dispõe a aprender e compartilhar conhecimentos com outros empreendedores e profissionais. O que amplia e potencializa o seu networking.

Para diversificar, que tal uma lista de filmes e séries sobre empreendedorismo?

The Droupout – estrelada por Amanda Seyfried, a minissérie de oito episódios conta a história de Elizabeth Holmes e sua startup Theranos, que dizia ser pioneira em um sistema de exames de sangue, só que na verdade, não funciona. A série mostra o empreendedorismo feminino, e revela como Holmes se tornou uma das bilionárias mais jovens do mundo, com sua empresa avaliada à época em US$9 bi (R$47,6 bi), e logo perdeu tudo ao ser acusada de fraude. (Star+)

Super Pumped: a batalha pela Uber – A série foca o nascimento da Uber, um dos unicórnios mais bem-sucedidos do Vale do Silício. A empresa já chegou a anunciar uma avaliação de US$17 bi (R$89,9 bi). Baseada no best-seller de mesmo nome de Mike Isaac, apresenta um elenco de estrelas com Joseph Gordon-Levitt como o CEO da Uber, Travis Kalanick. O enredo mostra o relacionamento de Kalanick com o investidor-anjo e mentor Bill Gurley (Kyle Chandler) e as polêmicas e os desafios enfrentados pelo CEO, que tinha (o erro) uma tendência de colocar o sucesso acima de tudo, até mesmo do bem-estar de seus funcionários e motoristas. (Paramount+)

WeCrashed – a série acompanha a ascensão e queda da WeWork, que cresceu de um único espaço de coworking para uma marca global avaliada em US$47 bi em menos de uma década. Conta a história de Adam e Rebekah Neumann (Jared Leto e Anne Hathaway), o casal extravagante e excêntrico por trás da criação do unicórnio, ao lado de Miguel McKelvey (Kyle Marvin). (Apple TV+)

Girlsboss – A série acompanha a falida Sophia Amoruso (Britt Robertson), que vivia sem um tostão, até que resolveu garimpar roupas velhas em bazares e vendê-las como vintage no e-Bay. A ideia, que nasceu em seu apartamento em 2006, transformou o site Nasty Gal em um sucesso, e sua fundadora em inspiração para outras mulheres. Girl Boss desmitifica com bom humor o cotidiano das empreendedoras que começam do zero ao retratar os perrengues da vida de Sophia, negociando preços de roupas usadas em lojas de terceira classe e empurrando o carro por falta de gasolina. (Netflix)

De Volta ao Espaço – o documentário acompanha a ascensão da SpaceX, empresa do bilionário Elon Musk, e sua ambição de retomar as viagens ao espaço. O filme mostra os engenheiros da SpaceX em uma missão para levar astronautas da Nasa de volta à Estação Espacial Internacional. A SpaceX é mais um negócio do controverso empresário sul-africano, que é também o CEO da Tesla e mais recentemente adquiriu o Twitter, se envolvendo em diversas polêmicas em relação a novas diretrizes da empresa e à demissão de grande parte do quadro de funcionários. (Netflix)

Steve Jobs – A cinebiografia do cofundador da Apple, estrelada por Michael Fassbender, mostra algumas complexidades da vida do magnata. O filme é focado na personalidade do protagonista e acompanha três lançamentos importantes da Apple, uma das maiores empresas de tecnologia do mundo: o Macintosh, o NeXT e o iMac. Traz  lições valiosas sobre o que fazer e o que não fazer quando o assunto é gestão de pessoas. O filme também mostra como Jobs, apesar de ser a principal mente criativa por trás da Apple, chegou a ser demitido por problemas de comportamento. Ou seja: não basta apenas ter competências técnicas; as habilidades sociais também são de extrema importância para quem deseja abrir um negócio. (Youtube)

Coco, antes de Chanel – Se hoje as mulheres podem usar calças e andar livremente sem um espartilho apertado, devemos muito à estilista francesa Gabrielle “Coco” Chanel. A cinebiografia conta a história de Gabrielle desde a sua infância pobre até se tornar “Coco Chanel”, um dos maiores ícones da moda no século XX e criadora do império Chanel S.A. O filme mostra que, muitas vezes, mulheres empreendedoras precisam assumir comportamentos exclusivamente masculinos para conseguirem ser ouvidas. Além de abordar muito bem os desafios do empreendedorismo feminino, a obra também nos oferece lições valiosas sobre coragem, inovação, determinação e perseverança e mostra como Gabrielle se tornou referência, não só na moda, mas também para outras mulheres. (Globo Play)

A Vida e a História de Madam C.J. Walker – Falando em mulheres empreendedoras, não poderíamos deixar de citar Madam C.J. Walker. É simplesmente uma série inspirada em uma das maiores histórias de empreendedorismo do mundo e não poderia ficar de fora da nossa lista. A obra — com algumas adaptações — retrata as dificuldades de Madam Walker como mulher negra tentando criar uma empresa nos anos 1900. Filha de escravizados, Madam C.J. Walker foi a primeira mulher negra milionária na história dos Estados Unidos. O enredo conta como ela construiu uma linha de produtos especializados para cabelos afro, resultado de um problema de autoestima e aceitação do próprio cabelo. A série mostra desafios constantes na vida de qualquer empreendedor: a busca pelos primeiros clientes, investimento e como conciliar a vida pessoal com o negócio. Além disso, ensina que a concorrência não é apenas uma ameaça, mas também impulsiona a sair da zona de conforto. (Netflix)

Walt Antes do Mickey – A cinebiografia mostra a trajetória do animador americano Walt Disney até desenhar o personagem de sua vida: o pequeno rato chamado Mickey Mouse, que o levou a construir um império do entretenimento e que anos depois se tornou uma das marcas mais valiosas do mundo. (Netflix)

Fome de Poder – O filme traz detalhes sobre a concepção e os eventos que transformaram o McDonald’s na primeira grande cadeia de fast food em escala mundial e como os irmãos McDonald perderam o negócio que construíram. A obra mostra como é importante pensar além e evitar o comodismo nos negócios. Também ensina que é fundamental acreditar em sua marca e se manter fiel a ela. (Netflix e iTunes)

Joy: o Nome do Sucesso – Outra história real de empreendedorismo feminino que ganhou destaque no cinema é a de Joy Mangano, inventora do “miracle mop”, um esfregão que se torce sozinho e que virou febre nos anos 1990 após aparecer num programa de vendas na televisão. É bastante interessante acompanhar a trajetória de Joy, desde a concepção da ideia do esfregão e construção do primeiro protótipo até a busca por investidores e formas de distribuição do produto. Estrelado por Jennifer Lawrence, o filme mostra o quanto é importante acreditar em uma ideia, por mais que ela pareça inusitada. E ele também mostra que nem sempre é uma boa ideia envolver a família nos negócios. (Globo Play)

Conclusão 

Como vimos, o empreendedorismo é uma atividade que envolve a identificação de oportunidades de negócios, a criação de valor, a inovação e a capacidade de lidar com riscos e emoções. Está associado com a visão de negócios, a liderança, a criatividade e a capacidade de transformar ideias em ações concretas.

O empreendedor é aquela pessoa que está aberta a tudo isso e a muito mais, tem curiosidade e almeja aprender e a ensinar também, é adaptável, um líder capaz de formar e trabalhar em equipe, ou mesmo em um pequeno negócio, por si.

Sabe que empreender nos novos tempos não é fácil, por isso, dedica-se, compromete-se, persevera a fim de superar desafios e alcançar o sucesso, como podemos perceber ao longo do artigo e nas histórias que os filmes indicados nos contam e as lições que podem nos passar. 

Portanto, se você tem o desejo de se tornar um empreendedor, siga os passos mencionados neste artigo e vá além, pesquise, explore, saiba mais sobre as formas de empreender, identifique-se com elas antes de mergulhar nesse universo, e esteja preparado para trabalhar duro e buscar constantemente o aprimoramento.

A Korú pode ajudar nisso!

A Korú é uma Escola focada em diversidade, inclusão e em transformar o mercado de trabalho em um ambiente igualitário e justo. Incentiva o aprendizado contínuo.

É também um hub de empregabilidade, contando com empresas-parceiras, com a meta de apoiar cada aluno e cada aluna em toda a sua jornada de transformação, potencializando carreiras e resultados. 

Oferece bolsas de estudo integrais e parciais para seus cursos profissionalizantes na área de tecnologia, desenvolvendo habilidades técnicas e comportamentais. Também oferece custos customizados para empresas, para potencializar carreiras e negócios.

Fale com os especialistas da Korú para conhecer os cursos, como concorrer às bolsas de estudo e as ações inclusivas realizadas pela Escola e como você pode se tornar um empreendedor com o apoio da Escola. 

Post Relacionados

O que é desenvolvimento de software

Desenvolvimento de software pode parecer um mistério indecifrável para alguns, mas a verdade é que não precisa ser um bicho de sete cabeças.  Na verdade,

Leia Mais

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!