Escola Koru

Recrutamento interno e a importância da transparência na carreira das pessoas

O recrutamento interno é uma prática comum em empresas de todos os tamanhos e setores. Essa estratégia consiste em buscar profissionais dentro da própria organização para preencher vagas e posições em aberto.

Além de ser uma forma de valorizar os funcionários e reconhecer seus talentos, o recrutamento interno pode trazer diversos benefícios para a empresa, como a redução de custos que aconteceriam em demissões e contratações externas, como também o aumento da motivação da equipe, que sabe que existe a oportunidade de mudar de função dentro da empresa.

Na minha carreira, aprendi de fato o que era uma cultura de recrutamento interno na Ambev

Era muito comum você ver pessoas que trabalhavam e trabalham por lá há 10 anos e que já passaram por funções diferentes – os casos são variados entre promoções ou movimentações laterais, mas fato é que lá, principalmente para cargos mais altos, sempre foi raro ver um recrutamento externo. O mais comum era fazer o “xadrez”, como chamávamos, para promover as pessoas e recrutar novas para as vagas mais juniores.  

E apesar do case de sucesso da Ambev, também conheci e passei por várias outras empresas que por mais que tivessem um discurso de recrutamento interno, não tinham essa cultura na prática.

E para que o recrutamento interno seja efetivo, é preciso que a empresa tenha uma cultura de transparência e comunicação clara sobre as oportunidades de carreira.

Isso porque, quando os funcionários não sabem quais são as possibilidades de crescimento dentro da organização, eles podem se sentir desmotivados e procurar novas oportunidades em outras empresas e não querer trilhar um caminho dentro da mesma organização.

Em 2014 o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que os profissionais brasileiros ficam, em média, 161,2 semanas no mesmo emprego, ou seja, aproximadamente 3 anos.

Em 2002, a média ficava em torno de 5 anos e meio e vemos que esse número tem caído com as novas gerações. O fato é que as pessoas cada vez mais querem ter experiências diferentes, querem projetos com início, meio e fim.

E a questão mais importante é: se a sua empresa não promove essas oportunidades para as pessoas, elas provavelmente irão procurá-las em outras empresas.

E muita gente ainda fica em dúvida sobre promover essa cultura de “apostar nas pessoas” e dar oportunidades mesmo que elas não tenham expertise suficiente para a posição, mas tenham a garra e o potencial necessários. Vou listar alguns motivos pelos quais eu acredito que o recrutamento interno é uma prática maravilhosa para qualquer empresa.

  1. Familiaridade com a cultura – quando você preenche uma vaga em aberto da sua empresa com um profissional que já é parte do seu quadro de funcionários, você traz alguém que já tem aderência à cultura da organização e já conhece os processos internos, reduzindo o tempo de integração dessa pessoa e minimizando o risco da pessoa não dar certo nessa nova função, afinal, a aderência à cultura já foi avaliada na prática.
  2. Tempo de seleção – esse tempo cai drasticamente quando comparamos um recrutamento interno com o externo, principalmente porque o interno pode e deve ter menos etapas e, muitas vezes, as pessoas envolvidas na seleção já conhecem os candidatos e candidatas, já trabalharam com eles em algum projeto e os trâmites de movimentação são mais simples que os de admissão.
  3. Valorização e reconhecimento dos funcionários – o recrutamento interno e a transparência na carreira valorizam e reconhecem os talentos internos, que se sentem motivados e engajados na empresa a continuar buscando oportunidades dentro da organização e não fora dela.
  4. Oportunidades de crescimento e desenvolvimento – o recrutamento interno oferece oportunidades de crescimento e desenvolvimento profissional que contribuem para a evolução na carreira das pessoas do seu time, que amanhã podem se tornar líderes com uma bagagem maior dadas as diversas experiências.
  5. Conhecimento e experiência na empresa – os funcionários que são promovidos internamente já possuem conhecimento e experiência na empresa, o que facilita a adaptação à nova função e contribui para um aumento da qualidade do trabalho.
  6. Maior estabilidade e segurança: os funcionários que são promovidos internamente possuem maior estabilidade e segurança na carreira, uma vez que já conhecem a empresa e seus processos, não vão surgir “novidades” nessa nova função e elas estão sendo reconhecidas, o que gera um ânimo maior para continuar.
  7. Fortalecimento da rede de contatos: o recrutamento interno fortalece a rede de contatos dos funcionários, que passam a conhecer mais pessoas dentro da empresa e a estabelecer novas conexões profissionais, o que é algo muito rico para a comunicação e conexão entre áreas.
  8. Redução de custos: o recrutamento interno reduz os custos com processos seletivos externos e treinamentos, uma vez que não é necessário gastar com consultorias externas de recrutamento, testes online, ATS, processo de onboarding etc.

E tudo isso é capaz de gerar resultados para as equipes e também para toda a empresa

Contudo, quando a empresa não promove o recrutamento interno, os funcionários podem se sentir desmotivados e com poucas perspectivas de crescimento dentro da organização, impactando os resultados das equipes.

Isso pode levar à perda de talentos e à necessidade de investir em processos seletivos externos, que exigem tempo e recursos financeiros. Com os conceitos claros, a dúvida que permanece é sobre como promover essa prática de maneira profunda e ir além de apenas divulgar algumas vagas internas para as pessoas se candidatarem?

Um passo é começar investindo na avaliação de desempenho: a avaliação de desempenho é uma ferramenta importante para fornecer feedbacks construtivos e identificar as habilidades e competências dos funcionários. Essa avaliação pode ser feita periodicamente, de forma que o funcionário possa saber quais são seus pontos fortes e fracos e definir um plano de desenvolvimento individual. Ter uma trilha de carreira bem desenhada é fundamental também.

Quais as possibilidades de funções na empresa? Quais são as habilidades exigidas para cada uma das funções?

Isso traz transparência para o processo. Além disso, o plano de carreira é uma ferramenta que ajuda os funcionários a visualizar suas possibilidades de crescimento e desenvolvimento dentro da empresa. Esse plano pode ser elaborado em conjunto com o gestor, definindo objetivos, metas e prazos para alcançar determinadas posições na organização.

A empresa precisa ter um investimento em treinamentos e capacitações para os funcionários com o objetivo de continuar desenvolvendo novas habilidades e competências nessas pessoas. 

Precisa, inclusive, criar processos que ajudem a promover uma comunicação clara e objetiva sobre as oportunidades de carreira e as expectativas em relação aos funcionários. Essa comunicação pode ser feita por meio de reuniões, e-mails, intranet, entre outras ferramentas.

Em resumo, o recrutamento interno e a transparência na carreira são práticas fundamentais para o sucesso das empresas e o desenvolvimento dos funcionários. Além de reduzir custos e aumentar a qualidade do trabalho, o recrutamento interno e a transparência na carreira das pessoas contribuem para a retenção de talentos, o fortalecimento da cultura organizacional e a evolução profissional dos funcionários.

Post Relacionados

O que é desenvolvimento de software

Desenvolvimento de software pode parecer um mistério indecifrável para alguns, mas a verdade é que não precisa ser um bicho de sete cabeças.  Na verdade,

Leia Mais

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!