Escola Koru

9 principais métricas de produto que você precisa conhecer + dicas

O que te ajuda a dizer se um jogo de futebol foi bom ou não?

Quantidade de gols? Domínio da bola? Tentativas à gol?

Assim como no futebol, no mundo dos negócios é essencial saber medir o sucesso de suas estratégias e ações. Isso vale para todos os setores, incluindo o de produtos.

As métricas de produto são indicadores que ajudam a avaliar o desempenho de um produto ou serviço. Elas são essenciais para tomar decisões estratégicas e otimizar o produto para atender às necessidades dos usuários.

Já que se entende as métricas como essenciais, ainda sim não é aplicada por boa parte das empresas. Isso porque 71% das empresas não atingiram suas metas no ano passado, segundo o Panorama de Vendas.

Neste artigo, vamos explicar o que são métricas de produto, quais são as principais e como definir as métricas do seu negócio.

Vamos lá?

O que são métricas de produto?

Métricas de produto são indicadores que medem o desempenho de um produto ou serviço. 

Elas podem ser utilizadas para avaliar a quantidade de usuários, a utilização do produto, o engajamento dos usuários e a satisfação dos usuários.

As métricas, portanto, podem ser baseadas em dados, estatísticas, análise do mercado, enfim, uma visão holística e analítica do segmento.

A seguir, vamos falar como definir uma métrica de produto e quais são os principais indicadores. Fique com a gente!

Quais são as principais métricas de produto?

A mesma pesquisa do Panorama de Vendas afirma que 29% das empresas não acompanham os resultados com frequência.

Logo, podemos concluir pela metade que não bateram as metas: criar um indicador não significa sucesso. Entender e monitorar a estratégia sim.

No vídeo abaixo você aprende como criar um produto de sucesso:

Conheça agora as principais métricas para ajudar a traduzir os seus resultados.

Ativação

A métrica de ativação é uma métrica de produto que mede o número de usuários que realizaram uma ação específica, como criar uma conta ou fazer uma compra.

Ela é importante para avaliar o sucesso de um produto, pois indica se os usuários estão encontrando valor no produto e estão se tornando usuários ativos.

Exemplos de ações que podem ser usadas para medir a ativação:

  • um usuário cria uma conta no produto;
  • o usuário compra um produto ou serviço do produto;
  • ele conclui um tutorial sobre como usar o produto;
  • o usuário publica um conteúdo no produto;
  • o público conecta-se com outros usuários no produto.

Exemplos de como a métrica de ativação pode ser usada

Para ilustrar melhor, temos alguns:

  1. Uma empresa de e-commerce pode usar a métrica de ativação para avaliar o sucesso de sua estratégia de marketing. Se a taxa de ativação for baixa, isso pode indicar que a empresa não está atraindo usuários que estão interessados em seus produtos ou serviços;
  2. Um aplicativo de mídia social pode usar a métrica de ativação para avaliar o sucesso de seu onboarding. Se a taxa de ativação for baixa, isso pode indicar que o onboarding não está sendo suficientemente eficaz para ensinar os usuários a usar o aplicativo.

Importante: Uma métrica não é suficiente para tomar conclusões, como já citamos. Faça um estudo meticuloso de cada caso.

Dicas para melhorar a taxa de ativação

  • Faça com que o processo de ativação seja fácil e rápido.
  • Comunique claramente os benefícios do produto ou serviço.
  • Ofereça incentivos para os usuários realizarem a ação de ativação.

cloud-computing-cta-curso-engenharia-de-dados

Engajamento

A métrica de engajamento é uma métrica de produto que mede o nível de interação dos usuários com o produto. 

O engajamento é importante para avaliar o sucesso de um produto, pois indica se os usuários estão encontrando valor no produto.

Exemplos de indicadores de engajamento

  • Tempo de uso: o tempo médio que um usuário passa no produto;
  • Número de páginas visitadas: o número médio de páginas que um usuário visita no produto;
  • Número de ações realizadas: o número médio de ações que um usuário realiza no produto;
  • Taxa de rejeição: a porcentagem de usuários que abandonam o produto após visitar apenas uma página;
  • Taxa de retorno: a porcentagem de usuários que retornam ao produto após uma sessão;
  • Número de comentários: o número de comentários que os usuários deixam no produto;
  • Número de compartilhamentos: o número de vezes que os usuários compartilham conteúdo do produto com outros.

A Vogue mostrou as marcas de beleza que se destacam nas principais plataformas em função do engajamento.

Ainda destaca que o conteúdo gerado pelo usuário foi muito importante para alcançarem o ranking.

Dicas para melhorar o engajamento

É claro que não ia ficar sem dicas, né?

  • Faça com que o produto seja fácil de usar e navegar;
  • Ofereça conteúdo relevante e interessante para os usuários;
  • Adicione recursos e funcionalidades que incentivem os usuários a interagir com o produto;
  • Recolha feedback dos usuários para entender o que eles querem e precisam.

No vídeo abaixo, você entende o papel de cada um no time de produtos — o que inclui as métricas.

Retenção 

A retenção é uma métrica de produto que mede o percentual de usuários que continuam utilizando o produto após um determinado período de tempo (dias, meses, por aí vai…)

Exemplos de como a métrica de retenção pode ser usada

  1. Uma empresa de e-commerce pode usar a métrica de retenção para avaliar a satisfação dos clientes com seus produtos ou serviços. Se a retenção for baixa, isso pode indicar que os clientes não estão encontrando o que procuram.
  2. Um aplicativo de mídia social pode usar a métrica de retenção para avaliar a popularidade de seu conteúdo. Se a retenção for alta, isso pode indicar que o conteúdo está sendo relevante e interessante para os usuários.
  3. Um jogo mobile pode usar a métrica de retenção para avaliar o nível de satisfação dos usuários com o jogo. Se a retenção for baixa, isso pode indicar que os usuários não estão encontrando o jogo divertido e desafiador.

Dicas para melhorar a retenção

  1. Ofereça aos usuários incentivos para retornar ao produto.
  2. Personalize a experiência do usuário para atender às necessidades individuais.
  3. Adicione novos recursos e funcionalidades que mantenham os usuários interessados.
  4. Recolha feedback dos usuários para entender o que eles querem e precisam.

Leia também: Transformando ideias em produtos digitais: do conceito à execução, como criar soluções de sucesso!

Churn

A métrica de churn é uma métrica de produto que mede o percentual de usuários que deixam de utilizar o produto após um determinado período de tempo.

O churn é importante para avaliar o sucesso de um produto, pois indica se os usuários estão encontrando valor no produto e estão satisfeitos com ele.

Exemplos de períodos de churn:

  • Churn mensal: o percentual de usuários que deixam de utilizar o produto em um determinado mês.
  • Churn trimestral: o percentual de usuários que deixam de utilizar o produto em um determinado trimestre.
  • Churn anual: o percentual de usuários que deixam de utilizar o produto em um determinado ano.

Exemplos de como a métrica de churn pode ser usada

Para ajudar você a entender melhor o churn, aqui vão alguns exemplos:

  1. Uma empresa de SaaS pode usar o churn de usuários gratuitos para avaliar a eficácia de sua estratégia de upsell. Se o churn de usuários gratuitos for alto, isso pode indicar que a empresa não está oferecendo aos usuários gratuitos um motivo para se tornarem usuários pagos;
  2. Uma empresa de streaming pode usar o churn de usuários pagos para avaliar a satisfação dos clientes pagantes. Se o churn de usuários pagos for alto, isso pode indicar que os clientes não estão satisfeitos com o produto ou com o preço.

Dicas para reduzir o churn

Já que tu sabes como funciona, aplica essas dicas para manter o churn bem pequeno:

  • Ofereça aos usuários uma ótima experiência desde o início;
  • Personalize a experiência do usuário para atender às necessidades individuais;
  • Responda às solicitações de suporte dos usuários de forma rápida e eficiente;
  • Ofereça aos usuários incentivos para permanecerem no produto;
  • Recolha feedback dos usuários para entender o que eles querem e precisam.

Leia também: Como criar produtos que atendam às necessidades de todos os usuários?

Custo por aquisição (CPA)

O CPA é uma métrica importante para empresas que desejam medir a eficiência de suas campanhas de marketing. Ele pode ser usado para comparar o desempenho de diferentes campanhas, ou para avaliar o desempenho de uma campanha ao longo do tempo.

Ele pode ser calculado para diferentes tipos de campanhas de marketing, como campanhas de mídia social, campanhas de e-mail marketing e campanhas de publicidade paga.

Exemplos de como a métrica CPA pode ser usada

Aqui estão alguns exemplos de como o CPA pode ser calculado:

  1. Campanha de mídia social: Uma empresa gasta R$ 1.000 em anúncios no Facebook e adquire 100 novos clientes. O CPA dessa campanha é de R$ 10;
  2. Campanha de e-mail marketing: Uma empresa envia 10.000 e-mails marketing e adquire 100 novos clientes. O CPA dessa campanha é de R$ 100;
  3. Campanha de publicidade paga: Uma empresa gasta R$ 1.000 em anúncios no Google Ads e adquire 100 novos clientes. O CPA dessa campanha é de R$ 10.

É importante ressaltar que o CPA é uma métrica relativa. O que é considerado um bom CPA para uma empresa pode não ser considerado um bom CPA para outra empresa. 

O CPA ideal para uma empresa depende de uma série de fatores, como o valor do produto ou serviço oferecido, o setor de atuação da empresa e o público-alvo da empresa.

Dicas para reduzir o CPA

O CPA parece complexo, por isso precisa prestar atenção nesses pontos:

  • Segmentar o público-alvo: Segmentar seu público de uma campanha de marketing pode ajudar a garantir que os anúncios sejam exibidos para as pessoas mais propensas a se interessar pelo produto ou serviço oferecido;
  • Personalizar os anúncios: Ajuda a aumentar o interesse e a relevância dos anúncios;
  • Otimizar as campanhas: Melhora o desempenho e reduz o CPA.

Confira abaixo como a estratégia de anúncios de redes sociais pode alavancar seu negócio:

Valor do tempo de vida do cliente (LTV)

O LTV é uma métrica importante para empresas que desejam avaliar a lucratividade de seus clientes. 

Ele pode ser usado para comparar o desempenho de diferentes segmentos de clientes, ou para avaliar o desempenho de um cliente ao longo do tempo.

Exemplos de como a métrica LTV pode ser usada

O LTV pode ser calculado para diferentes tipos de empresas, como empresas de varejo, empresas de SaaS e empresas de serviços.

Aqui estão alguns exemplos de como o LTV pode ser calculado:

  1. Empresa de varejo: Uma empresa de varejo vende um produto que custa R$ 100 em média. Um cliente típico realiza 5 compras por ano. O LTV desse cliente é de R$ 5.000.
  2. Empresa de SaaS: Uma empresa de SaaS cobra R$ 100 por mês por uma assinatura. Um cliente típico assina por 2 anos. O LTV desse cliente é de R$ 24.000.
  3. Empresa de serviços: Uma empresa de serviços cobra R$ 1.000 por hora de trabalho. Um cliente típico contrata serviços por 20 horas por ano. O LTV desse cliente é de R$ 20.000.

Dicas para aumentar o LTV

Pega essas dicas para melhorar seu LTV:

  • Faça com que os clientes voltem: Ofereça incentivos para que os clientes voltem a comprar ou a usar seus serviços.
  • Aumente o valor médio da compra: Ofereça produtos ou serviços complementares ou de maior valor.
  • Aumente a frequência das compras: Ofereça descontos ou promoções para incentivar os clientes a comprar com mais frequência.

 

Net Promoter Score (NPS)

O Net Promoter Score (NPS) é uma métrica de satisfação do cliente que mede a probabilidade de um cliente recomendar um produto ou serviço a um amigo ou colega. 

É calculado perguntando aos clientes uma pergunta simples: “Em uma escala de 0 a 10, o quanto você recomendaria nossa empresa a um amigo ou colega?”

Os clientes são classificados em três grupos com base em suas respostas:

  • Promotores: Clientes que classificaram a empresa com 9 ou 10.
  • Passivos: Clientes que classificaram a empresa com 7 ou 8.
  • Detratores: Clientes que classificaram a empresa com 0 a 6.

O NPS é calculado subtraindo o percentual de detratores do percentual de promotores. 

Um NPS alto indica que os clientes estão satisfeitos com a empresa e são propensos a recomendá-la a outras pessoas. 

Um NPS baixo indica que os clientes estão insatisfeitos com a empresa e são propensos a não recomendá-la a outras pessoas.

Exemplos de como a métrica LTV pode ser usada

  1. Para comparar o desempenho de diferentes segmentos de clientes: Uma empresa pode comparar o NPS de clientes novos e antigos, clientes de diferentes regiões ou clientes de diferentes produtos ou serviços;
  2. Para avaliar o desempenho de um cliente ao longo do tempo: Uma empresa pode medir o NPS de seus clientes ao longo do tempo para identificar tendências e oportunidades de melhorias;
  3. O NPS é uma métrica simples e fácil de entender. É uma ferramenta valiosa para empresas que desejam medir a satisfação dos clientes e tomar decisões estratégicas para melhorar a experiência do cliente.

Dicas para aumentar o NPS

Bora deixar seus clientes satisfeitos? Vem comigo:

  • Faça com que os clientes se sintam valorizados: Ofereça um serviço de atendimento ao cliente de alta qualidade e resolva os problemas dos clientes rapidamente e eficientemente.
  • Ofereça produtos e serviços de alta qualidade: Certifique-se de que seus produtos e serviços atendam às expectativas dos clientes.
  • Faça com que os clientes se sintam parte da comunidade: Crie oportunidades para que os clientes interajam com a empresa e com outros clientes.

Leia também: Como medir a satisfação do cliente e melhorar a CX

Taxa de conversão

A taxa de conversão é uma métrica que mede o percentual de pessoas que realizaram uma ação desejada, como comprar um produto ou assinar um serviço. É calculada dividindo o número de conversões pelo número de visitantes ou contatos totais.

Ela pode ser usada para comparar o desempenho de diferentes campanhas, ou para avaliar o desempenho de uma campanha ao longo do tempo.

Compra: Taxa de conversão de vendas;

Inscrição: Taxa de conversão de leads;

Download: Taxa de conversão de downloads;

Visualização: Taxa de conversão de visualizações;

Compartilhamento: Taxa de conversão de compartilhamentos.

Exemplos de como a métrica de conversão pode ser usada

Se trata de um cálculo para ter uma média de quantos resultados você obteve, como por exemplo:

  1. Taxa de conversão de vendas: Uma empresa recebe 1.000 visitantes em seu site e realiza 100 vendas. A taxa de conversão de vendas é de 10%.
  2. Taxa de conversão de leads: A empresa envia 10.000 e-mails marketing e recebe 1.000 leads. A taxa de conversão de leads é de 10%.
  3. Taxa de conversão de downloads: A agência oferece um e-book gratuito em seu site e recebe 100 downloads. A taxa de conversão de downloads é de 1%.

Dicas para aumentar a taxa de conversão

Verifique se já aplicou alguns desses tópicos a seguir:

  • Faça com que seu produto ou serviço seja atraente: Certifique-se de que seu produto ou serviço atenda às necessidades e aos desejos do seu público-alvo;
  • Facilite a conversão: Torne o processo de conversão o mais simples e fácil possível;
  • Personalize a experiência: Personalize a experiência do usuário para atender às necessidades individuais;
  • Ofereça incentivos: Ofereça incentivos para incentivar os visitantes a converter.

Leia também: Processos na área de Produtos: como eles funcionam

Taxa de cliques (CTR)

A taxa de cliques (CTR) é uma métrica de marketing que mede a frequência com que as pessoas clicam em um link, anúncio ou outro elemento. É calculada dividindo o número de cliques pelo número de impressões.

Ela pode ser usada para comparar o desempenho de diferentes campanhas, ou para avaliar o desempenho de uma campanha ao longo do tempo.

A taxa de cliques pode ser calculada para diferentes tipos de elementos, como:

  • Anúncios;
  • Links;
  • Call-to-action;
  • E-mail marketing.

Exemplos de como a métrica LTV pode ser usada

Confira alguns exemplos de LTV:

  1. CTR de anúncios: Um anúncio é exibido 1.000 vezes e recebe 100 cliques. A taxa de cliques do anúncio é de 10%.
  2. CTR de links: Um link é exibido 1.000 vezes e recebe 100 cliques. A taxa de cliques do link é de 10%.
  3. CTR de call-to-action: Um call-to-action é exibido 1.000 vezes e recebe 100 cliques. A taxa de cliques do call-to-action é de 10%.
  4. CTR de e-mail marketing: Um e-mail marketing é enviado para 10.000 destinatários e recebe 1.000 cliques. A taxa de cliques do e-mail marketing é de 10%.

Dicas para aumentar a taxa de cliques

Para garantir mais cliques no seu conteúdo, recomendamos:

  • Escolha palavras-chave relevantes: Certifique-se de que seus anúncios e links sejam exibidos para pessoas que estão interessadas no que você tem a oferecer;
  • Crie títulos e descrições atraentes: Seus anúncios e links devem ser atraentes o suficiente para chamar a atenção dos visitantes;
  • Use imagens e vídeos: Imagens e vídeos podem ajudar a chamar a atenção dos visitantes e aumentar a taxa de cliques;
  • Ofereça incentivos: Ofereça incentivos para incentivar os visitantes a clicar.

Importante: Além disso, a taxa de cliques pode ser usada para calcular o valor de um clique (CPC). 

O CPC é o custo que uma empresa paga por cada clique em seu anúncio. É calculado multiplicando o custo por mil impressões (CPM) pelo CTR.

Aqui está uma fórmula para calcular o CPC:

CPC = CPM * CTR

Por exemplo, se um anúncio tem um CPM de R$ 10 e um CTR de 10%, o CPC é de R$ 1.

O CPC é outra métrica importante para empresas que desejam avaliar o custo-benefício de suas campanhas de publicidade.

Como definir uma métrica de produto?

Definir métricas de produto é uma tarefa essencial para qualquer equipe de desenvolvimento. 

Métricas são dados que ajudam a medir o sucesso de um produto, mas é importante escolher as métricas certas, pois dados incorretos ou irrelevantes podem levar a conclusões equivocadas.

Aqui estão algumas dicas para definir métricas de produto de forma eficaz:

  • Comece com os objetivos do produto. Quais são os objetivos que você deseja alcançar com o seu produto? As métricas devem ser selecionadas para medir o progresso em direção a esses objetivos;
  • Considere o público-alvo. Quais são as necessidades e expectativas do seu público-alvo? As métricas devem ser relevantes para as pessoas que estão usando o seu produto;
  • Escolha métricas que sejam mensuráveis, relevantes e confiáveis. As métricas devem ser capazes de ser medidas de forma confiável e consistente.
  • Interprete os dados com cuidado. Os números não falam por si só. É importante entender o que os dados estão dizendo e como eles podem ser usados para tomar decisões.

Exemplo de como definir métricas de produto de forma eficaz

Imagine que você é o gerente de um aplicativo de e-commerce. Um de seus objetivos é aumentar as vendas. 

Você pode usar as seguintes métricas para medir o sucesso do seu produto:

  • Taxa de conversão: Porcentagem de usuários que realizam uma compra;
  • Valor médio do pedido: Valor médio gasto por cada pedido;
  • Retenção de clientes: Porcentagem de clientes que voltam a comprar no seu aplicativo.

Essas métricas são relevantes para o público-alvo do aplicativo, pois medem o sucesso do produto a partir da perspectiva do usuário. 

Elas também são mensuráveis, relevantes e confiáveis.

Aqui está um exemplo de como interpretar os dados de forma eficaz:

Se a taxa de conversão for baixa, pode haver problemas na experiência do usuário. Você pode investigar quais são esses problemas e tomar medidas para resolvê-los.

Por outro lado, se a taxa de conversão for alta, significa que o seu produto está sendo bem recebido pelos usuários. Você pode continuar investindo no produto e em estratégias para aumentar as vendas.

Acompanhe suas métricas de produtos e alcance mais resultados

Definir métricas exige estratégia e uma equipe bem treinada para monitorar a performance.

Sabendo disso, a Korú promove treinamentos corporativos com profissionais reconhecidos no mercado. Garanta que sua equipe aprenda com os melhores profissionais de Liderança, Inside Sales, Cyber Security, Diversidade e Inclusão e muito mais!

 

Post Relacionados

O que é desenvolvimento de software

Desenvolvimento de software pode parecer um mistério indecifrável para alguns, mas a verdade é que não precisa ser um bicho de sete cabeças.  Na verdade,

Leia Mais

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!