Escola Koru

Como criar produtos que atendam às necessidades de todos os usuários?

Você já parou para pensar em como seria incrível se todos os produtos digitais fossem acessíveis e pudessem ser usados por todas as pessoas, independentemente de suas habilidades ou limitações? 

Pois saiba que isso é possível através do design inclusivo! 

Neste texto, vamos explorar algumas possibilidades de como criar produtos que atendam às necessidades de todos os usuários.

Mas, antes, o que é design inclusivo?

Design inclusivo é uma abordagem que visa eliminar as barreiras e criar produtos que possam ser usados por todas as pessoas, incluindo aquelas com deficiências ou limitações. É um conceito que vai além da acessibilidade básica, buscando proporcionar uma experiência igualitária a todos os usuários.

Ao criar um produto digital com design inclusivo, consideramos as necessidades de diferentes grupos de usuários, como pessoas com deficiência visual, auditiva, motora ou cognitiva. Dessa forma, garantimos que todos tenham acesso às mesmas informações e possam utilizá-las de forma eficiente e satisfatória.

Implementando o design inclusivo

Para implementar o design inclusivo, devemos seguir alguns princípios básicos para a criação de produtos digitais.

Conheça as necessidades do seu público 

Para criar produtos inclusivos, é fundamental entender as necessidades e desafios enfrentados por diferentes usuários. Faça pesquisas, entrevistas e testes com pessoas com deficiências visuais, auditivas, motoras ou cognitivas. Observe como elas interagem com o seu produto e identifique as barreiras que encontram. Com base nesses insights, você poderá projetar soluções que atendam às necessidades específicas de cada grupo de usuários.

Exemplo: ao desenvolver um aplicativo, considere a inclusão de recursos como suporte a leitores de tela para usuários com deficiência visual, legendas em vídeos para usuários com deficiência auditiva e opções de interface adaptáveis para usuários com dificuldades motoras.

Priorize a usabilidade e a simplicidade

Os produtos acessíveis devem ser fáceis de usar e compreender. Simplifique a interface para os usuários, remova elementos desnecessários e mantenha um fluxo lógico de interação. 

Priorize a clareza na apresentação de informações e instruções, com feedback claro e instantâneo para orientar os usuários durante a interação com o produto.

Exemplo: em um site de e-commerce, certifique-se de que os botões de compra e as informações de preço estejam claramente visíveis e destacados. Use linguagem simples e direta para descrever os produtos e forneça opções de filtragem e pesquisa avançada para facilitar a navegação.

Adapte-se às preferências dos usuários

As preferências e necessidades dos usuários podem variar. Permita que eles personalizem a experiência de uso de acordo com suas preferências individuais. Ofereça opções de ajuste de tamanho de fonte, contraste de cores e velocidade de animações. Dessa forma, os usuários podem adaptar o produto de acordo com suas necessidades visuais, cognitivas ou de interação.

Exemplo: em um aplicativo de leitura, inclua configurações para ajustar o tamanho da fonte, escolher entre diferentes esquemas de cores de fundo e definir a velocidade de rolagem. Isso permitirá que os usuários personalizem a experiência de leitura do seu jeito.

Garanta a compatibilidade com tecnologias assistivas 

As tecnologias assistivas, como leitores de tela, teclados alternativos e dispositivos de controle de voz, são essenciais para permitir que pessoas com deficiências interajam com produtos digitais. Certifique-se de que seu produto seja compatível com essas tecnologias, seguindo as diretrizes de acessibilidade relevantes, como as WCAG (Web Content Accessibility Guidelines).

Exemplo: ao desenvolver um site, verifique se os elementos interativos são acessíveis por meio do teclado e se as informações visuais estão corretamente descritas para leitores de tela. Teste o produto com tecnologias assistivas para garantir uma experiência acessível.

Inclua a diversidade na criação de personas

Ao criar personas para o design de produtos, leve em consideração a diversidade de habilidades, experiências e contextos dos usuários. 

Não se limite apenas às personas “convencionais”, inclua pessoas com deficiências, idosos, usuários com baixa presença digital, entre outros. Isso ajudará a garantir que o produto seja projetado levando em conta uma ampla gama de necessidades, que compreende seu público-alvo e explora novas possibilidades.

Exemplo: ao criar personas para um aplicativo de educação, inclua a persona de um estudante com dislexia, que pode enfrentar desafios de leitura e escrita. Considere suas necessidades específicas ao projetar recursos de suporte, como leitores de tela ou fontes adaptáveis.

Lembre-se de que o design inclusivo não é apenas uma responsabilidade ética, mas também uma oportunidade de alcançar um público mais amplo e proporcionar uma experiência de usuário (UX) excepcional. Ao criar produtos acessíveis, você está contribuindo para a construção de um mundo digital mais inclusivo, diverso e equitativo.

Post Relacionados

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!