Escola Koru

Qual a diferença entre desenvolvedor(a) e programador(a)?

Nos dias de hoje, é comum ouvir pessoas utilizando os termos “desenvolvedor(a)” e “programador(a)” como sendo sinônimos. No entanto, esses são dois papéis distintos no universo da tecnologia, que embora estejam relacionados à criação de softwares,

São várias as categorias dessas atividades e cada uma com suas próprias especificidades. Vamos saber mais sobre essas diferenças? Então, continue lendo este artigo.

Desenvolver ou Programar? Eis a questão!

A procura por profissionais de programação e desenvolvedores de software deve seguir em alta nos próximos anos. Isso é o que indica um estudo recente realizado pela Rocketseat, em parceria com Sebrae e Broggini, que revela que o número de vagas no setor deve crescer 22% até 2029.  Os dados são referentes ao mercado estadunidense, que em 2019 já contava com 4,4 milhões de desenvolvedores de software empregados. Naquele ano, a oferta de empregos na área atingiu a marca de 1,4 milhão de novos postos apenas nos Estados Unidos. A estimativa é que, em 2029, esse número chegue a 1,8 milhão de novas vagas ofertadas – crescimento bastante superior ao de outras profissões. Segundo o estudo, a comunidade global de desenvolvedores deve alcançar 28,7 milhões de profissionais até 2024. (Gazeta do Povo)

O que é ser Desenvolvedor(a), quem é este(a) profissional?

Desenvolvedor(a) é aquele(a) profissional que possui uma visão mais ampla do processo de desenvolvimento de um software, é responsável por gerenciar todo o projeto, desde a concepção da ideia até a entrega do produto final. Trabalha em conjunto com programadores para garantir que o produto final atenda às necessidades do cliente.

Podem trabalhar numa variedade de setores; podem ter diferentes especializações, como desenvolvimento de front-end, back-end, mobile ou full-stack, e muitas operações com várias linguagens de programação, bancos de dados e frameworks para criar soluções personalizadas para suas necessidades específicas.

“Desenvolvedores, além de codificar, também precisam dominar o projeto, organizar as suas etapas, entender as demandas do mercado e trazer soluções através de softwares. Dessa forma, apesar de grande parte dos profissionais de desenvolvimento praticarem a programação, nem todos os programadores sabem desenvolver um software.” (Indeed)

Para ser um(a) desenvolvedor(a), é necessário ter uma formação na área de tecnologia, com conhecimento em programação, design e arquitetura de software, pelo menos. 

Temos várias categorias, entre elas temos desenvolvedores(as) de:

  • Front-End
  • Back-End
  • Dev Full-Stack
  • Web3.0
  • Aplicativos móveis
  • Chatbot
  • Software 
  • Data Scientist (Big data)
  • Inteligência Artificial/Machine Learning
  • Games 
  • Operating System
  • DevOps Engineer
  • Security (SecDevOps)

Quanto às suas habilidades e responsabilidades principais, entre outras, temos:

  • Atualizar-se e estudar constantemente.
  • Atuar em diferentes frentes do desenvolvimento do projeto.
  • Conhecer frameworks e bibliotecas populares, como React, Angular, Django, Rails, entre outros.
  • Conhecer linguagens de programação como Java, Python, Ruby, C++, entre outras.
  • Criar soluções tecnológicas personalizadas para atender às necessidades específicas de um cliente ou projeto.
  • Dominar as regras e conceitos da lógica computacional.
  • Escrever código limpo, legível e escalável e depurar o código para garantir que as soluções funcionem de maneira eficiente e eficaz.
  • Produzir documentação e especificações.
  • Ter capacidade analítica.
  • Ter conhecimento na língua inglesa é um diferencial.
  • Ter experiência em desenvolvimento de software para diferentes plataformas, incluindo desktop, web e mobile.
  • Ter envolvimento em todas as etapas de um projeto.
  • Testar e validar a funcionalidade do software.
  • Trabalhar em equipe e colaborar com pares e superiores, colegas de outras áreas e parceiros internos e externos, sendo que para isso, além das hard skills, deve ter um potencial elenco de habilidades comportamentais requeridas em todas as áreas/segmentos de mercado para saber lidar com pessoas, comunicar, gerenciar/liderar projetos, trabalhar em projetos individuais e conjuntos, mediar conflitos, dentre outros desafios.

Em um comparativo entre o Guia Salarial Robert Half, de 2023, e a Página de Salários do Indeed, o salário de um(a) desenvolvedor(a), no Brasil, em média, varia entre R$3.500 a R$20.000, conforme a categoria/cargo em que atuar, de júnior a sênior.

O que é ser Programador(a), quem é este(a) profissional?

Programador(a) é aquele(a) profissional que trabalha na criação de softwares e programas, atuando diretamente na área de TI. Geralmente, têm habilidades técnicas específicas, como a capacidade de escrever códigos em várias linguagens de programação, testar e depurar programas. Também são responsáveis ​​por manter e atualizar os sistemas existentes.

A tecnologia já domina todas as facetas do mundo moderno. A revolução tecnológica não é mais coisa do futuro, mas algo intrinsecamente presente em nossas vidas, e uma profissão muito importante nessa área é a de programador. Há quem diga que tais profissionais são os magos do futuro. (Indeed)

Para ser programador(a), é necessário ter uma formação na área de tecnologia, com conhecimento em programação e algoritmos. Embora a habilidade de programação seja fundamental para programadores(as), outras habilidades como matemática e lógica são também importantes. 

Temos várias categorias, entre elas temos programadores(as) de:

  • Desktop
  • Web
  • Mobile
  • Jogos
  • Front-End
  • Back-End
  • Full-Stack
  • Sistemas Embarcados

Quanto às suas habilidades e responsabilidades principais, temos, entre outras:

  • Atualizar-se e estudar constantemente.
  • Configurar e manter sistemas operacionais, servidores e redes.
  • Conhecer as ferramentas de automação, como Ansible, Chef, Puppet, entre outras.
  • Conhecer linguagens de programação como Python, Perl, Ruby, Shell, entre outras.
  • Dominar as regras e conceitos da lógica computacional.
  • Escrever códigos para automatizar tarefas.
  • Garantir que a segurança e a privacidade de dados sejam mantidas em todos os momentos.
  • Monitorar e solucionar problemas em sistemas de TI.
  • Ter capacidade analítica, senso crítico.
  • Ter conhecimento na língua inglesa é um diferencial.
  • Ter envolvimento em uma ou mais etapas de um projeto.
  • Ter experiência em administração de sistemas operacionais, servidores e redes.
  • Trabalhar em equipe e colaborar com pares e superiores, colegas de outras áreas e parceiros internos e externos, sendo que para isso, além das hard skills, deve ter um potencial elenco de habilidades comportamentais requeridas em todas as áreas/segmentos de mercado para saber lidar com pessoas, trabalhar em projetos individuais e conjuntos, lidar com conflitos, comunicar, dentre outros desafios.

Em um comparativo entre o Guia Salarial Robert Half de 2023 e Página de Salários do Indeed, o salário de um(a) programador(a), no Brasil, em média, varia entre R$3.000 a R$7.000, conforme a categoria/cargo em que atuar, de júnior a sênior.Programadores de Inteligência Artificial. TI é um mercado promissor, entretanto, sobram vagas e falta qualificação profissional. É a área que mais emprega. 

Enquanto em janeiro de 2022 existiam 24 mil vagas abertas para os 25 cargos de tecnologia em alta, no mesmo período de 2023 há 33 mil, um aumento de 38%, segundo um estudo realizado pela plataforma de inteligência de vendas Cortex a pedido da Forbes Brasil. (Forbes Brasil)

A busca por profissionais, em geral, na área de TI continua em alta, porém, o mercado ainda não tem profissionais qualificados o suficiente. O Brasil conta com poucos profissionais formados.

No caso de desenvolvedores(as) e programadores(as), o mercado está extremamente carente. Embora as funções sejam diferentes, ambas são igualmente importantes para o processo de criação de sistemas, softwares e aplicativos, são profissionais cada vez mais fundamentais. 

Um levantamento da Consultoria Mckinsey mostra que, enquanto a Índia forma um profissional de tecnologia para cada três administradores ou advogados, e os Estados Unidos formam um para cinco, o Brasil forma um para cada 11. Já uma pesquisa da Brasscom mostra que, até o fim do ano passado (2021), o Brasil tinha 159 mil postos de trabalho em aberto, mas só formou 53 mil profissionais na área de tecnologia. (G1)

A principal diferença entre as duas funções está na visão que cada qual tem do processo de desenvolvimento, está na abrangência do trabalho e no grau de responsabilidade de cada projeto, pois ambos os profissionais são especialistas em códigos de programação.

Entre as categorias entre desenvolvedores(as) e programadores(as), cada uma deve possuir habilidades e conhecimentos específicos para atender às necessidades dos projetos em que estiverem trabalhando.

As suas habilidades e responsabilidades se sobrepõem em muitas áreas, mas os(as) desenvolvedores(as) tendem a se concentrar mais na criação/ desenvolvimento de ideias e soluções de softwares personalizados, com foco mais no ciclo do projeto; e os(as) programadores(as) tendem a se concentrar mais na técnica, administração e manutenção de sistemas de TI. Ambas as funções são essenciais para o sucesso de qualquer organização que dependa de tecnologia.

Como vimos, desenvolver e programar sistemas requer o total entendimento das principais linguagens de programação, tais como: HTML, Java, C, C++, C#, Python, VB .NET, PHP, JavaScript, NoSQL, Delphi/Object Pascal e Swift.

Vale destacar que, independentemente da categoria, é fundamental buscar atualização e aprimoramento constantes de habilidades para se destacar no mercado de tecnologia.

Quer saber mais sobre essas diferenças profissionais entre desenvolver e programar?

A Korú oferece cursos nas áreas de Desenvolvimento de Software, Engenharia de Dados, Marketing Digital ou Produtos Digitais, todos voltados à formação completa de profissionais de alta performance para atender a essa grande demanda por profissionais do mercado de trabalho.

Tire suas dúvidas com um dos nossos especialistas e conheça mais sobre essas diferenças, sobre nossos cursos. As inscrições estão abertas e as vagas são limitadas. Aproveite todo o esclarecimento e se torne o profissional que o mercado está buscando – ingresse já em um de nossos cursos!

Post Relacionados

O que é desenvolvimento de software

Desenvolvimento de software pode parecer um mistério indecifrável para alguns, mas a verdade é que não precisa ser um bicho de sete cabeças.  Na verdade,

Leia Mais

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!