Escola Koru

Skill Gap – evite lacunas e faça a sua organização crescer!

Existem muitas formas de uma empresa crescer, mas todas elas, inevitavelmente, hoje em dia, passam por inovação e skillsDesenvolver os produtos – digitais ou não – desejados pelos consumidores e aprimorá-los, conforme o tempo passa, ter as skills necessárias é essencial para que isso aconteça. 

A YCombinator tem uma lista bacana sobre como articular estes pontos essenciais. #segueadica

Dicas sobre como desenvolver habilidades hard e soft no seu time

O grande ponto é sobre como fazer a máquina de inovação girar!

Diante dessa premissa, podemos até abordar diversas teorias de design thinking, inovação aberta, produtização e por aí vai, mas acredito que nada disso funciona sem as habilidades necessárias para coordenar toda a engrenagem de crescimento que uma organização precisa. 

Sem contar que o foco principal de qualquer liderança de uma organização está em garantir que as pessoas desenvolvam essas habilidades.

Grande parte da evolução de um país vem da cultura de aprendizado que as organizações fomentam. Ou seja, um país só é produtivo e inovador se as empresas instaladas nele investirem em educação, formal ou não. Aliás, grandes empresas  também são grandes escolas!

Quais são as habilidades necessárias e como desenvolvê-las? 

Esta é a pergunta de um milhão (ou talvez até bilhão) de dólares.

A primeira coisa que vale dizer é que hoje falamos de dois tipos de habilidades essenciais: as soft skills, ou habilidades socioemocionais; e as hard skills, ou habilidades técnicas. 

Há outras literaturas que abordam sobre as power skills, mas este nome mais me lembra jogos de videogame, então vou deixá-las de lado, por ora. 

Piadinhas à parte e trocando em miúdos, é necessário fazer um inventário ou lista de habilidades alinhadas com as expectativas da liderança da sua empresa. 

Soft skills

Começando pelas soft skills, precisamos voltar à discussão de cultura organizacional. Quando se tem clareza sobre a cultura da organização, evidenciam-se também quais comportamentos são esperados de cada colaborador. 

Dou exemplos: 

1) Se a sua organização preza por inovação, alguns dos comportamentos importantes a se desenvolver são: segurança psicológica (para que as pessoas não tenham medo de expor suas ideias); e escuta ativa (para que o time escute os seus diversos interlocutores, internos e externos).

2) Outro exemplo seria um valor ligado à diversidade e inclusão. Uma habilidade fundamental seria a ausência de vieses inconscientes entre os líderes, para que haja equidade na avaliação das pessoas quanto à carreira, remuneração, entre outros aspectos.

Analisando cada item da sua cultura organizacional, você pode fazer uma lista de comportamentos e habilidades que se conectem diretamente com o que seria esperado das pessoas.

Hard skills

Falando um pouco sobre hard skills ou habilidades técnicas, a orientação é ter uma conversa com todas as áreas de negócios para que, juntos, enumerem os conhecimentos e habilidades necessários para o seu dia a dia e para o futuro do negócio.

Mais três exemplos:

1) Se o foco da empresa é produtos digitais ligados a dados, é necessário entender qual o nível de senioridade do time em termos de engenharia, ciência, análise e segurança de dados. Liste quais treinamentos, formações e certificações são necessários para que o time evolua em relação ao estágio atual. 

2) Outra opção seria olhar para as pessoas que interagem diariamente com o time de dados e têm interesse em migrar para esta área. Para que isto ocorra, quais habilidades as pessoas deveriam ter ou desenvolver?

3) Talvez valha a pena a sua organização se habilitar no desenvolvimento de produtos com inteligência artificial. Então pense: quais são as pessoas que já apresentam algum nível de domínio sobre o tema e quais apresentam mais capacidade de aprender sobre o assunto? 

Desenvolver estas pessoas seria o caso! Explore todos estes conceitos em todas as áreas de negócio e você terá um  inventário de soft e hard skills! Sim, dá um trabalhão, mas vale a pena.  Outros pontos importantes a entender são os conceitos de upskilling e reskilling. Clique aqui e saiba mais!

E como incorporar ao dia a dia da organização?

Depois de listar as skills, o passo seguinte é saber como incorporar ao dia a dia da organização.

E vai aí mais algumas dicas:

  1. Que tal uma universidade corporativa sendo responsável pela atualização e nutrição da sua lista, ao menos anualmente. Pensa nisso!
  2. Incorpore as soft e as hard skills em suas descrições de cargos/ funções, use as descrições no recrutamento externo e interno.
  3. Comunique a todas as pessoas da organização quais são as habilidades esperadas para cada função e nível de senioridade.
  4. Tenha um plano vivo e fluido de treinamento e desenvolvimento com os melhores fornecedores do mercado. (Ah! Não se esqueça da KORÚ Hehehe)
  5. Forme multiplicadores internos do conhecimento e também faça a roda girar valorizando estas pessoas.
  6. Converse, troque ideia com as pessoas sobre as skills como parte do seu processo de performance. Só tome um cuidado com o nível de exigência: querer que todos tenham 100% de todas as habilidades não deve ser critério de avaliação/promoção. Afinal, nem o CEO é assim!
  7. Considere patamares saudáveis de aprendizado das pessoas e entenda que elas vão evoluir com o tempo. 
  8. Fomente uma cultura de aprendizado para a vida inteira. Falei disso recentemente, trata-se do lifelong learning. 

Finalizada a lista, não se desespere, a ESCOLA KORÚ pode ajudar você neste trabalho. Há inúmeras outras escolas no Brasil fazendo um papel excelente em evoluir nosso ambiente de aprendizado!

Entre em contato com nossos especialistas e saiba como!

Post Relacionados

O que é desenvolvimento de software

Desenvolvimento de software pode parecer um mistério indecifrável para alguns, mas a verdade é que não precisa ser um bicho de sete cabeças.  Na verdade,

Leia Mais

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!