Escola Koru

O impacto da Inteligência Artificial nos negócios e nas profissões

O Gartner define IA como a “aplicação de análise avançada e técnicas desenvolvidas em lógica, incluindo aprendizado de máquina, para interpretar eventos, apoiar e automatizar decisões e realizar ações”. Inteligência artificial é uma das tecnologias disruptivas que estão impactando e mudando o mundo, assim explicam os especialistas.

De acordo com o Fórum Econômico Mundial (WEF), a inteligência artificial (IA) é um dos quatro fatores de mudanças no trabalho, nas profissões e no cotidiano em geral, no mundo todo, mesmo que nem todos se deem conta disso.

A IA adentrou as organizações e em seus setores de Marketing, Logística, RH, Financeiro, Projetos, Administrativo, TI e outros, impactando também os hábitos de consumo de produtos e serviços e a economia como um todo.

Ainda de acordo com o WEF, a adoção da tecnologia, transformará negócios, profissões, atividades, empregos e habilidades das pessoas até o ano 2025. 

Estima-se que no futuro, o tempo gasto em tarefas no trabalho por humanos e máquinas serão iguais, e que mudará a cadeia de valor e a força de trabalho. 

“A inteligência artificial é uma das coisas mais profundas em que estamos trabalhando como humanidade. É mais profundo do que o fogo ou a eletricidade” (Declaração de Sundar Pichai, presidente da Alphabet, empresa controladora do Google, no Fórum Econômico Mundial).

IA x negócios e as profissões 

Ao pesquisar sobre o assunto, encontram-se muitas fontes comentando sobre as tendências. A IA não é do futuro é uma realidade atual, presente em nosso cotidiano e que estará conosco nesse futuro tão cheio de novidades e possibilidades. 

Os negócios e a IA

Os autores abordam os fenômenos da tecnologia, da globalização, da robótica, da IA, da Internet das coisas (IoT), da disrupção tecnológica – todos falam sobre as profissões e que elas mudarão, muitas deixarão de existir e novas aparecerão. 

Toda forma de automação têm otimizado muito os processos organizacionais, de modo que as empresas possam, cada vez mais, inovar em produtos e serviços. Antes, tarefas que levavam dias para análise, ser transformadas em dados, hoje, em questão de minutos tudo acontece. Em termos de negócios, os processos foram e continuam sendo otimizados. 

É um fato: encontramos IA em carros, reconhecimento de rosto, voz, digital, serviços online, Google Maps e outros – com várias exceções, obviamente, quase toda a população do planeta já acessou ou se utilizou de algum desses mecanismos. 

A maioria das profissões passarão por uma ressignificação, mas a IA vai assumir o controle?

“Vamos ver uma significativa extinção de profissões, assim como a criação de novos papéis […] O que importa é a proporção entre posições criadas e profissões que desapareceram.” (Neil Jacobstein, presidente de Inteligência Artificial e Robotics Track na Singularity University/Endeavor

Por meio da IA, por exemplo, é possível fazer o reconhecimento de uma emoção, por meio de uma análise de suas expressões, contudo, a máquina não tem a menor ideia do que seja emoção, ao contrário do humano, capaz de senti-la de fato.

Muitas atividades serão afetadas pela automação. As pessoas temem sua substituição pela máquina por conta das inovações. Sobre isso, há uma importante reflexão sobre “Inteligência artificial – uma nova era do mundo dos negócios” (Oliveira/Líder RH):  

“Inovação pode tirar, sim, o seu emprego. Com certeza várias profissões vão acabar, a forma de se fazer as coisas vão mudar, mas isso está acontecendo desde que o mundo é mundo.

Por exemplo, um dia já existiu a profissão acendedor de lampião. Uma pessoa era responsável por acender as lamparinas. Mas, então, veio a luz elétrica, os postes de iluminação equipados com um detector de luz chamado relé fotoelétrico.

Tudo que você pode fazer sobre isso é se preparar, estudar, empenhar-se para lidar com essa nova realidade e novas necessidades do mundo.”

Por mais que a IA cresça rapidamente e cubra várias lacunas, necessidades em termos de negócios, trazendo resultados, tende-se adotar a IA para complementar os profissionais em seu trabalho. Aqui é válido mencionar a importância de colocar em prática os conceitos de reskilling e upskillinglifelong learning.

O Fórum Econômico emitiu as seguintes avaliações, em seu relatório Future of Jobs 2020 – “a recessão e a automação mudam nosso futuro de trabalho, mas há empregos chegando”:

  • A força de trabalho está se automatizando mais rápido do que o esperado, substituindo 85 milhões de empregos nos próximos cinco anos
  • A revolução dos robôs criará 97 milhões de novos empregos, mas as comunidades com maior risco de interrupção precisarão do apoio de empresas e governos
  • Em 2025, pensamento analítico, criatividade e flexibilidade estão entre as principais habilidades necessárias; com dados e inteligência artificial, criação de conteúdo e computação em nuvem as principais profissões emergentes
  • As empresas mais competitivas serão aquelas que optarem por requalificar e aprimorar os funcionários atuais
  • Até 2025, os empregadores dividirão o trabalho entre humanos e máquinas igualmente. As funções que alavancam as habilidades humanas aumentarão em demanda.

Ou seja, podemos depreender de tudo isso que: ainda que máquinas cumpram algumas funções, outras serão criadas, gerando, assim, outras demandas de trabalho.

As máquinas não assumirão o controle, elas deverão ser controladas pelos profissionais, capacitados para isso. 

Concluindo…

É possível dizer que essa evolução extremamente rápida da IA não foi ainda percebida e compreendida de uma maneira mais profunda por grande parte das pessoas. Ela está presente em nosso cotidiano – nas coisas mais simples até as nas mais complexas.

“A rápida evolução da IA traz impactos tão significativos que ainda não percebemos sua amplitude. Não temos ideia de como será o mercado de trabalho em 2050, mas sabemos que a IA e a robótica vão mudar quase todas as modalidades de trabalho atuais, transformando as carreiras e profissões como as conhecemos hoje. […] 

O Brasil não está em outro planeta. Se não tivermos estudos e ações concretas, poderemos sofrer, no futuro breve, uma crise de grandes dimensões. 

Nós, humanos, devemos controlar a IA e criar os mecanismos que nos permitam usufruir de seus benefícios, mitigando seus riscos. Não pode ser um jogo de humanos contra máquinas, mas sim de humanos e máquinas.” (Taurion, partner e head de Digital Transformation da Kock Corporate Ventures e presidente do i2a2 – Instituto de Inteligência Artificial Aplicada)

As mudanças, os avanços, tudo isso ocorre desde o início dos tempos, do contrário não teríamos evoluído tanto e ainda estaríamos lá no tempo das cavernas, antes, até. 

Da Revolução Industrial para cá, essa evolução tornou-se célere e potencializou o significado de inovação. E sempre que algo surge, possibilita a substituição do trabalho humano, por um lado, e por outro, novas profissões são criadas. 

E por experiências relatadas que podemos encontrar em meios digitais e não digitais sobre todo esse movimento, de muitos empreendedores que quebraram e outros que prosperaram no mercado, o fato é que aqueles que não se enquadrarem/aderirem, fatalmente, estarão fora do cenário, pois perderão competitividade no cenário nacional e mundial. 

A Escola KORÚ acompanha todo esse processo de transformação e  impactos tecnológicos nos negócios e nas profissões. Entende que até 2030, todas as pessoas do mundo serão impactadas pelo uso de dados e da inteligência artificial. 

Por isso, convida pessoas interessadas em fazer parte desse cenário a aprender a lidar com grandes volumes de informação e gerar valor e transformação, para que todas estejam preparadas para construir soluções para os mais diversos segmentos digitais.

Neste sentido, oferece cursos com 6 meses de duração para formar especialistas em Engenharia de Dados e Desenvolvimento de Software. Aprenda na prática com a KORÚ – entre e contato com a equipe e saiba como!

Post Relacionados

O que é desenvolvimento de software

Desenvolvimento de software pode parecer um mistério indecifrável para alguns, mas a verdade é que não precisa ser um bicho de sete cabeças.  Na verdade,

Leia Mais

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!