Escola Koru

Como se tornar um(a) desenvolvedor(a) full-stack ainda este ano?

Nos últimos anos, a carreira – desenvolvedor(a) full-stack – tem sido bastante procurada no mercado de tecnologia – profissionais capazes de lidar com toda a estrutura de um projeto, do back-end até o front-end, é uma demanda que só tende a crescer.

Se você deseja entrar nessa área, mas não sabe por onde começar, continue lendo este artigo para saber como pode se tornar um(a) desenvolvedor(a) full-stack ainda este ano.

Desenvolvimento full-stack: o que é?

Antes de entendermos como se tornar um(a) desenvolvedor(a) full-stack, é importante entender o que essa carreira significa. Desenvolvimento full-stack é uma abordagem na programação de computadores que se refere à habilidade de desenvolver uma aplicação web ou software completo, do início ao fim, com todas as ligas e componentes necessários, tanto para o front-end quanto para o back-end .

Desenvolvedores full-stack são capazes de trabalhar em todas as etapas do desenvolvimento, desde a concepção e design da interface do usuário (UI) até o desenvolvimento do servidor, do banco de dados e da lógica de negócios. Essa habilidade permite que o(a) desenvolvedor(a) trabalhe de forma independente em projetos de menor escala e com uma equipe multidisciplinar em projetos maiores.

Além disso, o(a) desenvolvedor(a) full-stack tem a capacidade de compreender o processo geral de desenvolvimento de software e como cada etapa se relaciona com as outras, o que é uma habilidade muito valorizada no mercado de trabalho.

Embora seja desafiador se tornar um(a) desenvolvedor(a) full-stack devido à grande quantidade de habilidades e tecnologias que precisam ser dominadas, essa abordagem oferece uma visão mais ampla do processo de desenvolvimento e permite a criação de soluções mais eficientes e integradas.

Existem muitos recursos para adquirir as habilidades necessárias para se tornar um(a) desenvolvedor(a) full-stack de alta performance. Vamos entender agora o que é front e back-end, para depois entender o passo a passo dessa jornada.

Entendendo o que é back-end e front-end

O(A) desenvolvedor(a) full-stack é responsável por integrar essas duas partes – back e front-end – garantindo que o projeto funcione como um todo.

A organização das páginas de um site, o layout, a aparência e tudo aquilo que pode ser visto dentro do escopo do trabalho é construído por desenvolvedores front-end. Por outro lado, tudo aquilo que tem relação com a infraestrutura interna e funcionamento é conhecido como desenvolvimento back-end. (Indeed)

Back-end é a parte do projeto que lida com a lógica e a estrutura da aplicação:

Back-end é a parte de um sistema de computador que lida com lógica, o processamento e o armazenamento de dados.  É responsável por todas as funcionalidades que não são visíveis para o usuário final, como a gestão de banco de dados, segurança, lógica de negócios e comunicação com outros sistemas. 

É comum que o back-end seja construído usando linguagens de programação específicas, como Java, Python, PHP, Ruby e outras, que permitem a criação de servidores e APIs para disponibilizar dados e funcionalidades para outras partes do sistema ou para outras aplicações. 

O back-end é fundamental para o bom funcionamento de um sistema de computador, uma vez que é responsável por armazenar e processar as informações que são utilizadas pelo front-end e outras partes do sistema.

[Por falar em Python, veja aqui o curso que a Koru oferece gratuitamente]

Front-end é a parte visível para o usuário final:

Front-end é a parte de um sistema de computador que lida com a interface gráfica e a interação do usuário com o aplicativo. 

É responsável por apresentar as informações e funcionalidades do sistema de forma visualmente agradável e acessível para o usuário final. Isso inclui a disposição de elementos como botões, menus, formulários e apresentação de conteúdo como textos, imagens e vídeos.

O front-end é construído utilizando linguagens de programação web, como HTML, CSS e JavaScript, e é executado no navegador do usuário. Além disso, existem muitos frameworks e bibliotecas disponíveis que ajudam os desenvolvedores a criar interfaces de usuário mais rapidamente, como o React, o Vue.js e o Angular.

O front-end é importante para a experiência do usuário, pois é a parte com a qual o usuário interage diretamente e pode afetar muito a usabilidade e a eficácia da aplicação. Uma boa interface de usuário pode melhorar a experiência do usuário e aumentar a satisfação do usuário com o sistema.

[Saiba a diferença entre engenharia de dados e desenvolvimento de software]

Passo a passo para se tornar um(a) desenvolvedor(a) full-stack ainda este ano

Se você deseja se tornar um(a) desenvolvedor(a) full-stack ainda este ano, precisa estar disposto(a) a dedicar tempo e esforço para aprender as habilidades necessárias. Seguem algumas dicas e recursos úteis para isso:

  1. Aprenda as linguagens de programação básicas. Antes de se especializar em desenvolvimento full-stack, é preciso dominar as linguagens de programação básicas, como JavaScript, HTML, CSS, Python, Java, C#, entre outras. Essas linguagens são utilizadas tanto no front-end quanto no back-end e são a base para a construção de projetos web.
  2. Estude bancos de dados. Os bancos de dados são fundamentais para o desenvolvimento de aplicações web. É importante entender como eles operam e como são integrados ao projeto. Aprenda a projetar, criar e gerenciar bancos de dados relacionais e não relacionais. Alguns exemplos de bancos de dados são MySQL, PostgreSQL, MongoDB, entre outros.
  3. Especialize-se em linguagem back-end. Após dominar as linguagens básicas, é hora de se especializar e saber como criar aplicativos de back-end usando frameworks (bibliotecas de código que ajudam os desenvolvedores a criar aplicações web de forma mais rápida e eficiente) como Node.js, Ruby on Rails, Flask, Django, entre outros. É importante escolher uma linguagem que seja amplamente utilizada no mercado de trabalho.
  4. Estude um framework front-end. Além do framework back-end, é importante estudar um framework front-end, como Angular, React ou Vue.js, entre outras. Esses frameworks ajudam a criar interfaces mais dinâmicas e interativas, atraentes e responsivas. 
  5. Conheça DevOps. Ter conhecimento em DevOps é essencial para um desenvolvedor full-stack, pois isso permitirá que você gerencie e implante seu aplicativo em ambientes de produção.
  6. Adquira habilidades em design.Embora não seja obrigatório, ter algumas habilidades em design pode ajudar você a criar interfaces de usuário atraentes e profissionais.
  7. Não abra mão da aprendizagem contínua. A tecnologia está em constante evolução, então, é importante que você esteja sempre disposto(a) a aprender novas tecnologias e tendências, a reciclar o conhecimento, a adquirir novas habilidades em nível hard e soft. Programadores e programadoras que continuam investindo em sua formação, conseguem se destacar no mercado de trabalho.

Embora o mercado de trabalho seja bastante favorável devido às constantes transformações digitais, atuar como desenvolvedor full stack não é tão simples, pois exige dos profissionais atualização e estudos ininterruptos. Viver assim, sempre em busca de conhecimento e informações não costuma agradar a todos. Por outro lado, se você gosta de estar sempre aprimorando seus conhecimentos e tem disposição para esse aprendizado, a carreira de full stack é bastante atraente, posto que só tende a crescer. (Indeed)

Concluindo…

A demanda por desenvolvedores full-stack está aumentando a cada dia. E para ser este(a) profissional, pode até ser um processo desafiador, mas não impossível e é uma escolha pra lá acertada.

“Até 2025, haverá cerca de 800 mil novas vagas no setor de TI, segundo projeção da Brasscom (Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação). Hoje, já há mais vagas do que profissionais para ocupá-las, e os funcionários são atraídos tanto por essa demanda quanto pelos bons salários oferecidos.” (Forbes)

O desenvolvimento full-stack é uma área em constante evolução, então é importante estar sempre atualizado(a) com as novas tecnologias e tendências. Manter-se atualizado(a) sobre as melhores práticas de desenvolvimento e participar de eventos, conferências e workshops para expandir seu conhecimento.

Para se tornar um(a) desenvolvedor(a) full-stack bem-sucedido(a) ainda este ano, você precisa de dedicação, prática e um compromisso contínuo com o aprendizado e o desenvolvimento profissional, estabelecendo metas realistas e praticando regularmente as habilidades adquiridas.

“Desenvolvedores seniores full stack CLT recebem R$13.000,00 em PMES e R$15.500,00 em grandes empresas. Os profissionais PJ ganham R$20.750,00 e R$24.750,00.” (Forbes)

A chave para o sucesso é se manter atualizado(a) e sempre disposto(a) a aprender, pois com dedicação e estudo, você dominará as habilidades necessárias para atender às demandas do mercado de tecnologia. 

A Korú oferece um curso abrangente e especialmente pensado para quem deseja se tornar um(a) desenvolvedor(a) full-stack bem-sucedido(a).

É o curso de Desenvolvimento de Software Full Stack, ao longo do qual você vai interagir com as linguagens mais utilizadas no mercado, além do contato com conteúdos de dados, segurança da informação, cloud, entre outros, para que esteja preparado(a) para construir soluções para os mais diversos segmentos digitais.

Clique aqui e conheça o curso. Em 6 meses, numa carga horária total de 180 horas, conduzidas por profissionais das principais empresas de tecnologia no Brasil. Aqui você aprenderá na prática.

Se preferir, fale com um de nossos especialistas e esclareça todas as suas dúvidas! Vem pra Korú, as inscrições estão abertas! Garanta já a sua vaga e até o final deste ano terá seu certificado.

Post Relacionados

O que é desenvolvimento de software

Desenvolvimento de software pode parecer um mistério indecifrável para alguns, mas a verdade é que não precisa ser um bicho de sete cabeças.  Na verdade,

Leia Mais

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Estamos quase lá!